Análise Rápida: Star Wars: Episódio VII – O Despertar da Força

“There has been an awakening. Have you felt it?”

Screen_Shot_2015-04-16_at_1.38.59_PM.0

Ansiedade, expectativa, euforia, emoção. Tudo isso está acontecendo neste final de ano nas salas de cinema do mundo todo. Assim também acontece nas lojas e nas redes sociais. Pra quem não é fã, não conhece ou até detesta “Star Wars”, deve ser chato mesmo. No entanto, não há como negar a existência da comoção que os filmes fizeram com várias pessoas, geração após geração, desde que tudo começou na década de 70. Passados mais de 40 anos, as histórias e os personagens clássicos voltam para dar início a novas aventuras.

Claro que essa volta de Star Wars faz parte do surto hollywoodiano em criar reboots, remakes, prequels e sequências inacabadas. E quando o produto tem uma história tão grande como Star Wars, tanto dentro quanto fora das telas, a responsabilidade ainda é maior. Neste novo filme, a coisa funciona. Há um trabalho minucioso em introduzir um novo enredo e os novos personagens, intercalando com a história clássica, mesmo que a roupagem seja a mesma dos primeiros filmes (algo para respeitar e agradar os fãs e abraçar os novos). Isso é visto nas referências emocionantes, uma atrás da outra, e no cuidado em apresentar os personagens novatos. A missão parece ter sido fazer com que o público aceitasse o conteúdo novo e se deleitasse com a nostalgia e a emoção de ver o conjunto de ícones que formaram a mitologia que Star Wars se tornou.

E não só de referências este episódio VII se sustenta. A saga teve que se adaptar às mudanças culturais que a nossa sociedade clama. Nunca nos outros filmes houve tantas mulheres em cena, tendo uma delas um peso importantíssimo na trama (“Fight like a girl”). Talvez isso também seja uma questão de marketing, mas não deixar de ser menos importante ver este caminho de mudança na representatividade de gênero no cinema. E há também representatividade étnica no filme, sem os estereótipos do personagem negro que hollywood impõe. Quantos heróis negros em filmes de fantasia de hollywood você já viu?

Carregado de emoções e nostalgia, mas não dependente dela, o novo Star Wars certamente será um marco para o cinema, assim como a trilogia iniciada há 40 anos (algo que as sequências I, II e III deixaram a desejar um pouco).

Que a força esteja com você!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s